Sem mágoas

Ah, meu bem, eu não guardo mágoas, não. Um acontecimento ruim não apaga todos aqueles que foram bons, que me fizeram sorrir, que floresceram. Não se preocupe, rapaz, eu não vou deixar as mágoas apagarem todas aquelas lembranças boas, todos aqueles olhares recíprocos, e todas  as conversas sem dizer uma palavra.



Não, meu caro, eu não vou esquecer do abraço aconchegante, do toque eletrizante nem do riso cativante. E por falar nisso, está na moda citar “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.” né rapaz? Mas não, eu te isento de qualquer responsabilidade, teu trabalho em cativar foi bem feito, porém o meu em criar expectativas foi exemplar. E tudo bem, sabe? Eu criei expectativas que foram supridas e foi bom enquanto durou... Até onde eu sei, é assim que tem que ser.
Fomos o que tínhamos de ser, agora já não somos mais, porque não há “mais” para nós. O nosso sempre, acabava ali. E eu, depois de muito, acabei conformada com isso. Conformada de que alguns amores são verdadeiros, mas não são feitos para durar. Há pessoas que se amam e não estão juntas. Há pessoas que estão juntas e não se amam.

 Nós, para nosso bem, estivemos juntos enquanto nos amávamos. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Todos os direitos reservados | 2016
Desenvolvimento por: Larissa Mocellin (part.Jaque Design) | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo