Especial pré 18 anos: Conhecendo a Lari de alguns anos atrás III

     Hoje é dia 06, estou a uma casinha dos meus 18 anos (YAY!) e nada mais justo que postar a última parte do Especial pré 18 anos, onde divido com vocês um pouquinho da Lari de alguns anos atrás. Já conferiu os outros dois posts do Pré 18 anos? Clique aqui para acessar a parte I e aqui para a parte II.


       Apesar da minha mãe nunca ter gostado de fazer festas, ela sempre quis fazer uma comemoraçãozinha, aquele famoso ''É só um bolinho com a família!", as melhores lembranças que eu tenho, são dos aniversários na minha casa antiga. Como eu faço aniversário em fevereiro e meu irmão em março, nossas ''festinhas'' sempre foram juntas. Meu pai tinha uma coleção gigante de latinhas que desde quando me conheço por gente, era o ''painel'' para fotos, no improviso feelings! Inclusive, todas brincadeiras que envolvessem bola nesse ambiente eram só dor de cabeça, se por um acaso a bola batesse na coleção de latinhas, a arrumação demorava horas. Eram 5 minutos jogando e 15 arrumando a coleção do meu pai, hahaha.


      Quem me acompanha sabe o quanto eu sou apaixonada pelo Eduardo Surita, atualmente ele tem uma banda, mas já foi apresentador de televisão, radialista e é mais conhecido como ‘’O Dudu Surita, filho do Emílio do programa Pânico e ex colírio da revista Capricho’’.  Sou fã (da pessoa e do artista) e o acompanho fielmente há quatro anos e como qualquer fã que se preze, um dos meus maiores sonhos era vê-lo pessoalmente, abraçar e tietar. Em 2011 isso aconteceu e da forma mais louca (e linda!) possível.  Eu tinha uma viagem de aniversário para Fortaleza programada para fevereiro desse ano e loucamente, desde novembro de 2010, eu, todo dia 07 (o dia em que iríamos para Fortaleza em fev.) sonhava que encontrava o Du no aeroporto. Todo mundo que convivia comigo sabia desses sonhos (porque era muita loucura) e eu inclusive postava nas redes sociais sobre isso. Os meses foram passando, os sonhos que eram praticamente sempre iguais persistindo e eu comecei a acreditar nisso, sempre que entro nesse assunto com a minha mãe digo a ela ‘’Lembra que eu até disse que se ele estivesse lá, nós iríamos cancelar os passeios do dia para vê-lo?’’.  Fevereiro, dia 07 chegou e eu embarquei rumo a Fortaleza e não, eu não o encontrei no aeroporto. Os dias por lá eram bem cheios, tínhamos passeios para outras praias todos os dias e nada que fizesse sentido aos meus sonhos. No último dia na cidade, eu resolvi entrar na lan house do hotel só por curiosidade, porém acho que nunca vou esquecer do momento em que coloquei meu login e senha no twitter e o primeiro tweet da minha timeline? ‘’@eduardosurita: Eeeiii Fortaleza!!” sobre a minha reação não preciso comentar, né? Não havia água com açúcar que controlasse a emoção e o choro da garota! Descobri o horário do voo dele e minha mãe cruzou a cidade de táxi para ir comigo até o aeroporto, lá encontrei várias amigas minhas que também tinham fã clube para o Du e o aguardamos. Ele chegou e só o que eu posso dizer é que foi incrível, ele foi extremamente atencioso, autografou, tirou foto, abraçou, conversou.. Não tenho como descrever muita coisa, só quem já sentiu um amor tão grande por alguém saberia o que se passou comigo aquele dia. Para concluir, eu me aproximei muito dele desde então, participei de uma ligação no programa de rádio que ele tinha, tenho vídeos dele me mandando beijo e agradecendo pelo fã clube e ainda o vi em 2012, em Caxias do Sul. <3


     Poderia dizer que vivi minha infância dançando Rouge, Sany & Junior e até Padre Marcelo Rossi (?) na sala da minha casa, mas resolvi compartilhar algo mais do meu íntimo (hahaha), meu amor por Calypso. Eu era fascinada, tenho guardado mais de 5 CDs e DVDs e até hoje quando escuto as músicas, sei de cor e salteado. Essa foi a fase que o meu signo falou muito por mim, enquanto toda galera da escola era apaixonada por RBD, eu, a aquariana do contra, era louca por Calypso.. Inclusive, apresentei várias coreografias no show de talentos e boa parte da escola substituiu meu nome por, nada mais nada menos que, ''Joelma'' hahaha. Mas essa fase me rendeu uma das únicas lembranças totalmente claras que eu tenho do meu avô, lembro perfeitamente que ele se emocionava me vendo dançar.. Uma pena não ter nenhuma foto vestida a caráter, daria tudo para me ver desse jeito, hahaha.

     E é isso, o Especial pré 18 anos vai terminando por aqui.. Quero agradecer todos os acessos que esses posts tiveram, eu amei compartilhar um pouquinho das minhas histórias aqui e fiquei muito feliz pelo feedback que tive, afinal, antes de ocuparem o espaço de leitoras, muitas já são minhas amigas também. <3


4 comentários:

  1. Sei o que você passou ao conhecer do Eduardo, pois desde pequena fui loucamente apaixonada pelo Michel Teló (ainda tenho um carinho imenso por ele, mas não sou mais tão louca), consegui realizar meu sonho de conhece-lo e a gente fica sem reação e sem noção nenhuma do tempo, fica suando frio e sei lá mais o que se passa Rsrsr. (Lembro do Michel no grupo Santo Chão e depois no Grupo Tradição, quando o conheci). Também ouvi muito Sandy e Junior dançei muita ragatanga (sei o coreografia até hoje), e ouvi muito Calypso também, tenho DVDS guardados. Que saudade daquele tempo.
    Bjs lindona, adorei conhece um pouquinho mais de você.

    http://www.facamebonita.com/

    ResponderExcluir
  2. Muito legal o post!!

    Por: brazilianvogue.blogspot.com.br ❤

    ResponderExcluir
  3. Amava tanto Calypso que até 'autografou' a tv, HAHAHA!
    Lindos tu e o ale na festinha *---*
    Beijão minha cuzi linda, e só faltam mais algumas horas.. <3

    ResponderExcluir

© Todos os direitos reservados | 2016
Desenvolvimento por: Larissa Mocellin (part.Jaque Design) | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo